25 de abril de 2008

Proesia

Entre as tantas pessoas que me conhecem, que convivem comigo e sabem de minha paixão pela escrita, algumas têm me perguntado se o blog terá apenas crônicas. Todos esses sabem que meu primeiro amor literário sempre foi a poesia। É ela quem me visita nas mais absurdas horas, nas noites insones, durante os aparentemente vagos sonhos, na hora da macarronada, no meio da faxina - da casa ou da alma - na sala de aula onde declamo o que os Grandes que me precederam deixaram gravados no papel. Sim, a poesia, minha velha companheira é quem mais me vem contar suas novidades . Ou vinha. Talvez tenha se cansado um pouco de gritar para mim, implorar que eu a prendesse. Talvez tenha pensado: ela está sempre tão cansada ultimamente, vou deixá-la um pouco só. Ah, poesia velha minha companheira, deixaste o vazio nas incontáveis horas e, querendo prosear comigo, apareceu a senhora dona crônica. Foi bem-vinda, tem sindo bem recebida mas, tu, Poesia, não tem jeito: estás dentro do que de mais profundo possa haver dentro de mim. É por isso que hoje deixo aqui um poema que escrevi nem lembro quando. Em matéria de versos, nada importa o tempo, mas sim o registro enquanto sentimento. Apresento-vos:
Meu Credo.

Hoje te falo das minhas certezas
Porque creio nelas.
Essa é a minha Pátria,
Meu credo,
Minha religião
Onde o Deus
- teu amor –
É meu refúgio.

Creio na força do deitar
Involuntariamente
Imprevisto em atos e desatos.
Creio no amor
Que inteiro se guarda e deságua
Na dor da saudade imprevista
Na fé de que o amanhecer existe.

Meu credo é tua chegada
Num minuto infindável
De um tempo sem limites.
Se acaso te vais
Fica uma parte tua
Que me envolve em sonhos
Na penumbra da noite
E na esperança
Do dia novo e inigualável
Que há de vir.

Meu credo é a certeza
De que és hoje
O que não pudeste ser outrora:
Um sonhar real e indivisível.
Meu credo é esperar-te
Sabendo que no momento exato
Há de consumar-se o inesperado
Em que as paredes serão meras coincidências.
Seguiremos juntos
Num vôo alheio a tudo e a todos,
Num lugar qualquer que criaremos
À nossa imagem
Pela semelhança dos gostos
De nossas vidas que se tocam.
Meu credo são nossas verdades,
Ainda que o mundo seja de mentiras
Meu credo é A - Mar - Te
Na certeza infinita
De sermos nós mesmos।

Poesia+prosa=Proesia।
Beijos para o final de semana

7 comentários:

Tatiana disse...

Gostei de ler um textículo em prosa a introduzir um poema. Proesia é legal. Quanto ao poema, gostei muito dele. Acabei, eu, também, de fazer um poema, terrível, o poema, tadinho, mas é fruto meu...
Credo, mas sinal de que tenho credo para poetar algo... tá lá na minha comu. Roseli, preciso aprender a fazer um blog como esse, isso é bacana mesmo. beijão. Sua amiga e leitora!
Tati Heteronímica Louca e Linda Pluralmente passiva de paixões.

babuh disse...

Rose, não digo como aluna, mas como jovem e inesperiente leitora, que o achei adorei mesmo sem saber ao certo como julga-lo. Mas de qualquer modo, sao lindas e intensas as palavras, e mais ainda os significados e a repercuçao gerada ao menos em mim.
Parabens Ro, adorei o seu blog !!Beijos da tua aluna Bárbara Aimé

Aline Bittencourt disse...

Ai prof muito lindo!
tens o dom pra escrever né, quando eu crescer vou querer ser que nem tu auheiuh
Quero que saibas que adoro ser sua aluna, cada dia mais aprendo contigo! te adoro Rose,e o seu blog está lindo, parabéns! beijos

Gabriela disse...

lili, só passei para deixar um beijo e dizer que tenho saudades de minha eterna professora de literatura...
beijos Pit

Maria Luiza disse...

Segunda tentativa:
Meu primeiro texto, bem caprichado, não foi. Agora vou tentar reproduzir o que lembro.
Nada como ter uma amor-parceiro para enfeitar o blog hein? Tá lindo!
Um beijo. Vamos ver se agora vai.
Ah, adoro te ver poetando...

José Victor disse...

Parabééns Roseli, escreves muito bem.Gostei de ler as tuas crônicas, até me empolguei em escrever pras tuas aulas de literatura, aoiehoah.
O blog tá irado,já vou adicionar nos favoritos aqui.Continua assim e não para de escrever não.
beeijo :*

Rosana mana disse...

Nossa, mana!!! Q linda essa poesia... eu não conhecia... pretendo um dia amar assim... não só amar mas ser amada assim... tomara! Espero por isso toda a minha vida... deve ter uma razão pra tanta demora... pra falar a verdade já tive bem mais esperanças de isso acontecer... acho q o tempo vai passando e, diante da realidade da vida minhas esperanças vão indo embora pouco a pouco mas, faer o q? o jeito é continuar esperando... deitada!

Beijos
Te amo!