16 de abril de 2008

Com prazer é mais barato.

“O grande prazer da vida é fazer o impossível”. Era essa a frase de estímulo que estava no meu orkut dia desses. Grande consolo, não? Sim, e também grande verdade, afinal, o possível todos fazem a cada momento. Fazer o possível é o comum, das gentes que há aos montes por aí. – Vou fazer o possível, senhora. - Senhora, mantenha o nível da conversa, estou fazendo o possível. – A senhora tem que entender, estou atendendo a todos e fazendo o possível.
Fazer o comum o tempo todo é o cúmulo do absurdo numa sociedade como a nossa que exige de nós e faz com que exijamos dos outros a cada dia que sejam mais rápidos, mais inteligentes, mais leitores, mais competidores, mais espertos, ágeis e o escambau. Tudo isso para sobreviver, fazer de conta, melhor dizendo.
Digo isso porque sou daquelas que sente correr nas veias a necessidade de fazer mais, um pouco mais, um tantinho a mais. E o reconhecimento? Vem com o tempo, já dizia a minha avó. No trabalho, atividades diferenciadas para eliminar a mesmice de anos nem sempre são vistas como fazer o impossível. Logo aparece alguém que puxa o teu tapete. Porque fizeste o impossível? Não, porque apareces demais.
Enfim consegues, após anos de trabalho duro, comprar um carro zero ou uma casa nova e aí vem aquele teu amigo e te larga a frase fatal: hummmmm, roubaste bem, heim? Na verdade, enquanto o desgraçado dormia após ter feito o possível, tu estavas fazendo o impossível, desprezando a saúde, o lazer, a família, deixando de lado por falta de tempo o amor, o sexo, a beleza, o viço da pele.
Em janeiro, depois de duas crises de pânico durante o ano - de tanto corrigir provas e preparar tarefas interessantes para fugir do trivial - recebes as férias e segues viagem para a praia do sonho – único lugar que teu dinheiro conseguiu alugar. Ali é que passa aquele vizinho barrigudo num corcel II azul piscina desmontável e te diz: - profissão boa é a tua, férias de dois meses no verão e mais um no meio do ano.
Ou seja, tu passaste o ano inteiro tendo reuniões e cursos em vários finais de semana, tomaste calmantes, vitaminas, ferro, cálcio e antidepressivos para agüentar o tranco, leste vinte e cinco livros deferentes – obrigatórios e quase sempre chatos - para, no merecido descanso, com sono atrasado e querendo só um pouco de paz , teres que ouvir isso. Por quê? Simples: para estar ali, fizeste o impossível 200 dias letivos e em mais outros 90, no mínimo, treinamentos, palestras ou capacitações que mais te davam vontade de cavar um buraquinho e sumir por ali mesmo. Mais valia ter deixado os ouvidos e os olhos em casa e colocado para tomar sol aquilo que do corpo sobrou: a casca ressacada e fraca.
E é assim, infelizmente, que a vida segue e nossa raiva vai sendo testada a cada amanhecer. Pior, corremos o risco de ir endurecendo ao ponto de em mais nada acreditar e aí é que mora o perigo. Faz-se necessário dosar, equilibrar mesmo nossos afazeres e não dar muita bola para a torcida contrária que nunca é pequena, saibam!
Dar seqüência a esforços pelo bem de quem está por perto, que precisa de ti e te valoriza mesmo sem nada dizer, é dever de cada cidadão. Por isso a frase do orkut chamou tanto a minha atenção. É com prazer que devemos agir. Com prazer a vida fica mais suave, mais saborosa e até mais barata (ao contrário do que dizem as más línguas!). Com prazer a gente nem percebe que está fazendo o impossível todos os dias porque de banalidades há muitos sacos cheios por aí.

5 comentários:

[Edy] [edyla_santos@hotmail.com] disse...

Minha amiga, você como sempre me causando admiração. Parabéns, esse seu dom é admirável. É verdade, fazemos o "impossível", nos viramos nos trinta literalmente e ainda parece pouco...acredite nisto!! Até hoje fiz o impossível e cheguei a triste e lamentável conclusão que FIZ POUCO, pois onde está o reconhecimento? Onde está a gratidão?? Será que o reconhecimento estará na minha lápide?? É amiga, faça apenas o possível assim você parecerá mais frágil, mas dependente e mais humana e quem sabe será valorizada. Pois o nosso presidente nem o possível fez!! Um grande abraço.

Manoela disse...

[Manoela]
Ai, Rose.. Acho que estou com Síndrome do Pânico.. e tenho a leve impressão de que já tive uma crise. Pequena, mas uma crise. Pânico do quê, se não faço nada da vida? VESTIBULAR!! É a palavra que mais ouço e mais me apavora, cada vez que alguém a pronuncia perto de mim. Estudo, estudo e estudo, e ainda consigo tirar notas baixas! Faço o impossível, consigo conciliar namoro, família, amigos e estudos, mas uma hora parece que cai a ficha e eu não quero mais nada! Stress.. não aguento mais.. hehe. Adorei o post de hoje, Rose! Essa realidade não é só sua, mas muitas pessoas se sentem assim. ;) Beijocas!

Jéssica disse...

ameei essa crônica rosi *.* as vezes da uma vontade de matar pessoas assim né ¬¬ mas fazer o que, é a viida :D beijos minha linda

Tatiana Maestro disse...

Tatiana Maestro (Tati)] [projetopessoa@hotmail.com]
É, Roseli, fazer o diferente, quando não estamos fazendo o impossível, faz parecer que nossas vidas são bem leves... mas são densas. Acrescento: com prazer é uma "Graça"... ademais, crises de pânico, o sistema de livros chatos do vestibular - quer jeito mais sacana de desestimular um jovem a ler? Mas a profissão é boa para os bons, para os que em algum dia já saíram radiantes de uma sala de aula, como quem acertou 3 vezes na megasena. Tem coisas que o dinheiro não compra. E aos que "invejam", nossas férias... QUE VISÃO LIMITADA ELES TÊM. Estão ocupados fazendo o possível para debochar em cima de uma expressão nossa, que o sujeito nem sabe que tem impressões dentro da "cara". Querem a minha cara? Dou pro tapa e pros carinhos divinos. Prefiro os últimos, mas, ser humano ímpar, vivo com a cara que tenho! beijos, Roseli, em sua fase cronista. Tati louca e linda...(teu apelido inesquecível para a minha pessoa)

Janes William disse...

Oi, Roseli!!!
Esta foi a frase que apareceu no meu orkut hoje, 13/12/08.
Pensando bem, nada é impossível, somos nós que nos recusamos a ter uma visão mais abrangente deste Universo tão complexo que Deus criou.
Pode parecer estranho pensar desta forma a respeito do "impossível", mas foi esta a conclusão a que cheguei ao meditar sobre esta frase no meu blog - http://MinhaSorteNoOrkut.blogspot.com – como tenho feito diariamente, usando a "sorte de hoje" do orkut como esqueleto.
Se quiser conferir, passe lá, e fique à vontade para comentar!
Felicidades, e muita sorte para sua vida e sua família!!!
J.W.