16 de março de 2009

A tentação das tentações!


É assim. De repente acontece. Você está diante do computador porque precisa digitar mil provas e resumos ou escrever as resenhas que lhe pediram, ou apenas para pesquisar no WWW.citador.pt , uma frase legal para ser a epígrafe do teu trabalho já pronto e, durante, no meio disso tudo, você abre a página inicial de seu provedor e vem aquela avalanche de informações. Você sabe que não pode. Não é hora de perder o foco nem de saber do BBB ou da nova novela das seis, mas aquele acidente na Avenida Paulista foi mesmo feio. Eram quantos... quinzes carros? E aquela menininha de onze anos que engravidou do padrasto, sofreu um aborto legal e teve que ser internada numa clínica psicológica para reaprender a viver, enquanto seus médicos estavam sendo excomungados pelo Papa. Horrores do dia-a-dia, ingestão de medo e insegurança aliados, talvez, à falta de tempo que virou, arbitrariamente, moda do dito mundo moderno.
E você que está ali, e que, inocentemente ou não, faz parte desse universo abre sua caixa postal e dá de cara com um e-mail que diz: parabéns, hoje é o dia do consumidor! Seu queixo cai, sua boca se abre, você quer soltar um berro daqueles bem escandalosos porque era mesmo só o que faltava. Todos os dias, você pensa, já são dias do consumidor. Das necessidades às superficialidades, consumimos sempre. É como nascer filho, sempre se é de alguém. Consumidores somos de tudo, o tempo todo e, numa época como essa, em que temos visto salários reduzidos, demissões em massa, crise para todo o lado, vamos aceitar essas felicitações? Ora, me poupem!!!!
Ah, que bom seria ser hipócrita nesse momento e sair por aí com um belo cartão de crédito consumindo. Sapatos, rasteirinhas, bolsas, vestidinhos adoráveis, a nova moda outono-inverno com todas as suas tendências em cores e sabores, aquele colar maravilhoso de bolas com os brincos, livros e mais livros de comunicação e poesia, um carro zero com aquele cheirinho delicioso, ah, que delícia consumir e ainda, de quebra, depois, ir num restaurante bem legal e comer aquela comidinha só para não ter que lavar a louça depois de chegar em casa cansada de tantas compras. É uma malhação séria sair por aí gastando. Hummmmm, seria bom, certo?
Pois são em momentos como estes que temos que parar e analisar todo o lixo que nos é lançado por onde quer que passemos. Nos jornais, na TV, na rua através de homens-propaganda, nos cartazes de promoções, nos outdoors, na internet onde havíamos entrado só para pesquisar uma citaçãozinha para iniciar aquele artigo. A vida está perigosa. Em momentos de crise, melhor dobrar a concentração e o trabalho e gastar menos para ver o depois como é que vai ficar. No entanto, infelizmente, a grande maioria da população não pensa assim e aceita os parabéns por mais este dia, o mais comercial de todos, enfim. E sai gastando os fundilhos para ficar devendo ao banco até as cuecas que usa.
É nessas horas que eu penso o porque de ensinar às pessoas desde pequenas a importância da leitura. Quando se lê muito, quando se lê de verdade, logo sacamos o que é bom e o que não presta, sabemos separar o “joio do trigo” (para usar aqui uma sabedoria a mais,) e não caímos em certas ciladas, ou melhor, tentações. Desde o conhecimento de gibis, revistas, jornais aos livros mais importantes de nossas vidas, a leitura sim é que nos salva, pois além de nos proporcionar o poder de viajar a mundos que nem conhecemos sem sair do lugar – e portanto sem gastar nada – ainda nos faz tornarmo-nos seres melhores perante a terra que habitamos. Que mais alguém pode querer além de um universo interior rico? Vamos pensar nisso e não permitir que nos dominem. “A vida é vasta, ter é tardar”, já disse Fernando Pessoa. Tenhamos, vida e sabedoria, pero “sin perder la ternura (e La cabeza) jamas”.

10 comentários:

Fany disse...

Realmente, é muita cara de pau, receber felicitações Por ser Consumista!
UAHSUHAUUAHUA
Afinal, consumimos 24hs mesmoo
Ah adorei o Post
Realente Muito realista

:******

Anaize disse...

Prof, adorei a redação. Realmente, não tem nada que irrite mais do que essas felicitações que recebemos sabe-se lá de onde. OIEHIOEHIOEHEIOHEIO
Maravilhoso texto, como sempre!

p.s.: a garota do estupro e do aborto não tinha nove anos? Sei lá, foi o que eu ouvi falar na tv! (não que eu queira parecer uma metida e mostrar que eu sei do assunto, é só um comentário)

Beijos!

Roseli disse...

Anaize, tens toda a razão, sim nove anos. Eu confundi mesmo. Esse texto nasceu em dez minutos, foi imediatíssimo, hahah.. Obrigada!!!

Patrick disse...

Ahhhhh esse sofrimento de turbilhão de pensamentos que agora me consomem ao ler esse texto seu!!!!Chega a dar uma "quentura" no cérebro, cócegas nas mãos, ódio da humanidade, revolta com o imenso e inacabável estoque de ignorantes nesse mundinho medíocre.
Viver é um perigo constante...é ser tentado para todo o sempre. Uma pergunta bem interessante de se fazer é: em que mundo eu vivo mesmo? Ou, talvez, uma outra: será que preciso mesmo daquela calça, daquele perfume ou daquele sapato para realmente ter valor e alcançar à felicidade? Esse monte de lixo começa a ser gerado e toma o rumo da cabeça de pessoas que comandam a humanidade, pois tudo, absolutamente tudo está voltado ao comércio e aos interesses dos grandes e inteligentíssemos empresários. A manipulação e alienação mental são cada vez mais sagazes.Fiquem atentos!
A melhor compra que se pode fazer na vida é realizada quando a cabeça está pesada de tantos pensamentos úteis, de indagações, contestações e críticas a esse mundo que ousa impor regras a quem tem capacidade e discernimento. A inteligencia não está à venda na loja da Victoria Secrets, mas num vasto shopping de livros, revistas, jornais e tudo isso compartilhado com amigos inteligentes.
Defina seu mundo, recicle, reorganize, retarde, amadureça, conteste, proteste e seja feliz, nem que seja no seu mundo particular!
Ahhhh e seja sempre humilde....talvez uma das maiores virtudes humanas, claro que, apenas se voce tiver um estômago de urubu para digerir todo o resto que lhe é oferecido com a maior naturalidade diariamente!

Bjo Rose

Lucius... disse...

Bom dia...

Seu turbilhão de palavras é sinal de que as idéias estão fluindo plenamente..
As crises, as loucuras.. o "consumo" só deveria ser aceito, numa situaçao de extrema busca pelo saber...
Não vimos matérias, premiando tais alunos, por grandes descobertas em livros.. ou até mesmo, dentro das salas de aula..
Vamos sim, PREMIAR A EDUCAÇÃO e seus EDUCANDOS.

Felicidaddes mil...

Roseli disse...

agradeço aos meus amigos que comentaram aqui pois isso sim me enriquece o cérebro e faz de mim algupem melhor, pronta a ajudar. Patrick, tu escreveste outra crônica ao comentar, heheh, amei! Lucius, qu bom te ver por aqui!!! beijos a todos e obrigada pela visita. Venham sempre!

Roseli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Luiza Ramos disse...

Uau! Sempre prolixa a minha amiguinha!
Sabe, dentre meus tantos defeitos, não consta o consumismo. Tenho até preguiça de comprar.
Agora, se entrar numa livraria...fico doida entre lançamentos, clássicos, livros que eu procurava, livros que eu nem sabia que existiam... E a pilha vai aumentando, a fila de espera (de tempo) também.
Gostei de rever Pessoa.
Um beijo amiga!

Rodrigo Vieira disse...

Olha só quem encontro por aqui!!!
não sabia que tinhas um blog Roselin...

muito bom por sinal...

hora do jabá.
http://rodrigovieira.wordpress.com/

hehehehehehehehe

mil beijos eterna mestra

chico disse...

A subconsciência da grande maioria da humanidade banalizou o homem e o transformou nesse ser fisiológico, inútil e perigoso ao seu semelhante e ao próprio planeta; poucos tem acordado...

Bj.